As Belas Atrizes da Novela 'Windeck'

A atriz Nadia da Silva interpretou a personagem Ana Maria Kalibanga.
“Ana Maria tem 27 anos. É uma mulher bonita e simples. Não é uma vítima da moda, optando por um estilo prático e descontraído. É fotógrafa na revista Divo e irmã de Victória. Tem temperamento justo e compreensivo. Passou por várias desilusões amorosas”. (TV Brasil) (Imagem: Reprodução/Internet)

A primeira novela africana a ser exibida no Brasil chegou ao fim no último dia 28 de abril. A produção angolana de 2012 (Semba Comunicação) contou com lindas atrizes que deram força, luz, e muita cor na trama sobre pilantras e pilantragem no mundo da moda.

Escrita pelo time Miguel Crespo, Coréon Dú, Isilda Hurst, Joana Jorge e Andreia Vicente, e dirigida por Sérgio Graciano, Windeck concorreu ao Emmy internacional em 2013. A novela teve o seguinte slogan em Angola, “Windeck: Subir na vida tem um preço,” já que a gíria angolana windeck significa uma pessoa ambiciosa que não mede os meios para obter os fins.

Por sermos um mercado quase que unicamente aberto a toda e qualquer produção dos EUA, Windeck caiu como um refresco no Brasil.


A estória se passou na edição de uma revista de moda, a Divo, expondo aos brasileiros a maneira bem colorida de vestir dos angolanos através dos figurinos de Mónica Lafayette. E também por isso as atrizes foram o ponto alto de Windeck. Tanto como glamourosas profissionais liberais, quanto como eficientes cozinheiras e empregadas domésticas, o elenco feminino mostrou as várias faces da “bela angolana”.

A atriz Solange Hilário interpretou a personagem Kassia Bettencourt
“A filha de Rosa usa a sua sensualidade para conseguir o que quer dos outros. Manipuladora e ambiciosa, ajuda a mãe no objetivo de conquistar Kiluanji, de forma a alcançar a boa vida com que sempre sonhou”. (TV Brasil

A linda e carismática atriz Edusa Chindecasse interpretou Luena Voss
“Luena é produtora executiva da revista Divo. Dedica-se 100% ao trabalho e espera o mesmo dos outros, por isso, algumas vezes, entra em rota de colisão com Kiluanji que, ao contrário da irmã, tem uma vida além da revista. Enquanto Kiluanji é visto como o chefe compreensivo, Luena é quase temida. A personagem esconde um segredo, e faz tudo para que ele não vaze”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

 Celma Pontes interpretou a desajeitada e justa Sila Matete
“Sila trabalha como doméstica na casa de Ofélia. A patroa passa a vida a implicar com ela e a culpá-la até do leite que o filho derrama. Aguenta as fúrias da patroa por não ter outra alternativa de sobrevivência”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

Por aqui, a novela angolana estreou em 10 de novembro de 2014 no canal TV Brasil e fez história por ter sido a primeira novela africana a ser exibida no Brasil. Com o puro intuito de entreter, a novela não foi nem um pouco pretensiosa e assim foi eficaz em sua missão. Windeck não tentou ser uma minissérie de luxo e assim se conteve a oferecer somente um muito bom folhetim com reviravoltas dramáticas e cômicas, abordando de forma simples e clara algumas questões polêmicas, como violência doméstica, homossexualidade e alcoolismo.

A novela foi fantasticamente Brega. Brega dos bons. E por ser um bom Brega, Windeck é cúlti e Windeck é pópi.

Com uma trilha musical extraordinária, Windeck teve tudo que uma telenovela deve, ou deveria ter: vilões gananciosos e inescrupulosos, mocinhos e mocinhas ingênuos, golpe da barriga, golpe do baú, o segredo do filho adotivo, roubo de fortunas, mãe que dá seu filho para adoção e o encontra anos depois somente para salvá-lo com uma doação de sangue, preconceito racial, preconceito de classes, homofobia, e por aí vai.

Ailsa Conceição interpretou a adolescente Lweji Voss
“Filha de Ofélia e Wilson. Sonha em ser modelo profissional. Para isso, está disposta a deixar os estudos, o que gera grandes conflitos seu pai”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

A atriz Sónia Claudia Neves interpretou a misteriosa Isaura Voss
“Quando casou com Xavier era muito sociável, acompanhando o marido em todos os eventos sociais. Uns anos depois a relação ficou marcada por discussões, quase sempre em torno dos casos extraconjugais de Xavier. Um dia decidiu deixá-lo, desaparecendo sem dizer nada a ninguém”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

Helena Moreno interpretou a personagem Mariza Lemos 
“Maquiadora na revista Divo. Intuitiva, é boa a fazer o 'Raio-X' das pessoas. No caso de Victória, por exemplo, percebe logo que ela se trata de uma dissimulada com sede de riqueza. É apaixonada por Jorge. O fato de ele ser branco desperta comentários maldosos e problemas”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

Henesse Cacoma interpretou a personagem coquete Nadir Pedro
“Recepcionista na revista Divo. Profissional, tenta tomar conta de todos os recados e saber tudo o que é preciso para cumprir a sua missão. Considera o trabalho que tem uma promoção social e faz tudo para o manter”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

O diferente português angolano também expôs o brasileiro a mais uma novidade dentro de tantas similaridades culturais (o preconceito da elite contra o Kuduro e o Funk, por exemplo), e fez com que a tela da TV apresentasse um glossário que ajudou bastante o telespectador. A produção angolana também contou a participação do ator brasileiro Rocco Pitanga.

A atriz Marta Faial interpretou a personagem Tchyssola Paim
“Designer, durante a trama vai colaborar com a revista Divo. É uma profissional empenhada. Adora a sua profissão e quando se envolve num projeto, faz de corpo e alma. A sua família é angolana, mas está radicada em Londres. Tem orgulho em ser angolana nas suas raízes e tradições, mas absorveu muitos traços da maneira de ser e de estar britânica.” (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

Yolanda Viegas interpretou Nazaré Massano
“Cozinheira no catering do filho. Cada prato é uma expressão do seu amor pelos que a rodeiam. É uma mulher dedicada à família e ao trabalho. Com os demais mantém relações cordiais, mas sem grandes intimidades”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

A atriz Tania Burity interpretou a perua brega Ofélia Voss
“Mulher de Wilson. Capaz de tudo para manter a sua aparente riqueza econômica, até de se aproximar de Yuri, o filho que abandonou quando jovem e que, agora, é um bem sucedido modelo e homem de negócios. Seu objetivo é ser rica e aceita na alta sociedade angolana; embora para isso Wilson tenha que mudar de vida”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

Para muitos brasileiros, ver tantos atores negros na telinha pode ter sido extremamente desconfortável e desagradável. Para outros muitos de nós, no entanto, Windeck foi algo lindo, reconfortante e bem próximo de nossas realidades de diversidade. Ao mostrar tantos negros e negras, a novela nos colocou próximos das nossas ruas, de nossas famílias e vizinhos. Colocou-nos próximos de nossos bairros, assemelhando-se à realidade de muitas brasileiras e brasileiros—realidade evitada e raramente mostrada em tantas cores nas produção nacionais. E isso é muito bem vindo, e deveria ser mais frequente.

Grace Mendes interpretou outra vilã, a personagem Rosa Bettencout
“Rosa Bettencourt é produtora de moda da revista. Seu objetivo é ficar com o lugar de Kiluanji na revista, mas para isso tem que tirar a super exigente Luena do caminho, uma vez que ela está sempre questionando as decisões profissionais de Rosa”. (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

Micaela Reis interpretou a vilã Vitória Kajibanga.
“Irmã de Ana Maria. É capaz de tudo para subir na vida, utilizando inclusive sua sensualidade como forma de atingir os objetivos. Sai do Moxico, no interior de Angola, para tentar a vida em Luanda.” (TV Brasil(Imagem: Reprodução/Internet)

A TV Brasil recebeu o o prêmio “Camélia da Liberdade” dado à instituições e personalidades que promovem a afirmação do negro no Brasil. As atrizes angolanas Grace Mendes e Edusa Chindecasse também foram premiadas na cerimónia celebrada no dia 25 de março deste ano no Brasil. Grace disse que “a forma comos as pessoas nos vêm cumprimentar e felicitar pelo nosso trabalho é muito especial, estamos a passar uma mensagem extremamente importante para o Brasil”, conforme publicou a revista online angolana Platina Line.

Muito embora a novela tenha sido transmitida em um horário pouco acessível, 11 da noite, a TV Brasil marcou um grande gol com a transmissão de Windeck.

c&p

Fonte: TV Brasil; Novelas Sapo – Angola.

21 comentários:

  1. A novela era boa, mas o pessoal pisou na bola com o horário que ela passava. Eu só pude assistir em janeiro quando estava de férias, o que foi uma pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente o horário de transmissão da novela foi uma grande (enorme!) "pisada de bola" da TV Brasil.

      Excluir
  2. Realmente o horário foi cruel, para quem trabalha é impossível ficar até altas horas esperando a novela. Entretanto, é fato que a novela é muito boa e bem produzida. Ela pode ser vista no youtube, está completa. É o que estou fazendo, assistindo pelo youtube.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabíamos que a novela estava disponível no Youtube.. Valeu a dica!

      Excluir
  3. Amei Windeck! Comecei assistindo pela internet e continuei acompanhando pela tv depois da estreia. O horário realmente era difícil. Mas espero que a novela possa ser reprisada mais cedo. De preferência às 21h, quando a Globo e a Record tentam nos impôr tanta porcaria apelativa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achamos a novela Ótima, Suellen. Legal saber que você assistiu pela Internet.

      Excluir
  4. a novela está passando de novo na tv brasil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade.Wimdeck esta' de volta na tv Brasil!

      Excluir
  5. gostei de tds angolanas podia ate me da uma...

    ResponderExcluir
  6. Eu amo essa novela e eu sou super fã de Micaela Reis e Edusa Chindecasse

    ResponderExcluir
  7. Carlos Melo11/12/2015 16:34

    Conheci a novela por acaso no final do ano passado.
    Mas esse ano soube que iria reprisar e num horário mais atraente, desde então faço muito esforço para não perder nenhum capitulo e quando perco...vou ao Youtube e vejo o que perdi.
    Detalhe...Sou do tipo que não tem ânimo nem paciência para assistir nossas novelas com sua histórias sempre repetidas.
    Consegui até mais uma fã para a novela...minha esposa.
    Abçs a todos.

    ResponderExcluir
  8. FLAVIA DE ARAUJO27/02/2016 11:34

    LINDA LINDA

    ResponderExcluir
  9. esta novela mostrou um pouco da minha coriosidade sobre angola amei muitas belezas sobre o povos angolanos queria tanto viver no pais muito lindos

    ResponderExcluir
  10. Novela ESPETACULAR, PERFEITA, MARAVILHOSA, minha preferida, não perco nenhum capitulo, fico radiante com tudo e todos, pessoas da minha origem NEGROS E NEGRAS QUE EU AMO, AMO A CIDADE AMO A COR, na verdade AMO TUDO WINDECK VCS são TUDO. FÃ N° 1 DE CARTEIRINHA. MINHA vontade é poder estar mas prximo de vcs poder conhecer de perto ver sentir e ser feliz junto. BOS SORTE A TODOS SUCESSO ATÉ O FIM. NOTA 1000

    ResponderExcluir
  11. Essa é a minha NOVELA, a numero 1, produção EXCELENTE,

    ResponderExcluir
  12. Que novela linda!!! Muito me impressionou nos nossos problemas atuais, todo homem é igual, independente de raça, credo, cor (eu sou do tipo 'branca azeda' ou seja 'branca transparente', fico toda rendada de roxo no inverno), está no nosso DNA. Como diz Chimamanda Adichie em: "o perigo de uma história única".
    Amei principalmente a personagem 'Ofélia Voss' de Tania Burity _ personagem que me enlouquecia com seus argumentos racistas, eu morria de rir com ela!!! Parabéns e nos mande mais novelas Angolana!!!

    ResponderExcluir
  13. Não me foi desconfortante, nem desagradável ver atores negros na telinha, cada um com sua etnia; eu fiquei maravilhada, belas, esbeltas, gordas simpáticas, homens ricos, pobres, uma Angola ao natural, suas ruas, a calçada da beirada da praia como a de Copacabana, e, meu Deus, a sena de sexo de Rosa Bettencout (Grace Mendes) com o senhor Voss, foi tão maravilhosa que, não acreditei como vocês valorizam tanto o sexo entre pessoas maduras _ aqui no Brasil, só se vê sexo entre personagens jovens, como se só a eles fosse permitido. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  14. Gostaria que a TV Brasil, apresentasse outra novela no mesmo horário, alias, e do mesmo estilo ara a alegria da população negra que nunca, nunca se ve representada na TV brasileira, no horário da primeira exibição, só assim haveria novela todos os dias, pois da segunda apresentação deve o nefasto futebol (detesto). PEDIMOS, APRESENTEM OUTRA NOVELA ANGOLANA OU DE OUTRO PAÍS ONDE OS ATORES SÃO NA SUA MAIORIA NEGROS. AGRADECEMOS

    ResponderExcluir
  15. Simplesmente fantastica essa novela a do re i..... os atores sao linnnnndos bjs Rosângela

    ResponderExcluir
  16. Alguém por favor manda o link pra eu assistir, quero muito assistir, um amigo recomendou.

    ResponderExcluir

('Trollagens' e comentários Desrespeitosos e Ofensivos não serão publicados):