Produtor de Os Simpsons Comenta a Tal Conspiração que Levou À Primavera Árabe


 (Foto: Reprodução/Internet)

Uma nova Teoria de Conspiração sugere o envolvimento de um episódio do desenho animado Os Simpsons com a Primavera Árabe. A teoria noticiada na mídia egípcia invadiu a Internet.

Um artigo de Asawin Suebsaeng publicado no site da revista Mother Jones em 8 de maio de 2014, fala sobre o caso, descreve o episódio, e revela o quê um dos produtores do desenho animado tem a dizer sobre isso.


Produtor de Os Simpsons Responde A Insana Teoria de Conspiração de que o Programa Tenha Ajudado O Início A Primavera Árabe 

Há uma nova teoria que afirma que um episódio de Os Simpsons (que foi ao ar em 25 de fevereiro de 2001) previa a revolta síria e a guerra civil naquele país, e que também afirma que o mesmo episódio é a prova da existência de uma conspiração internacional massiva que criou as bases da Primavera Árabe.

Isso mesmo.

Esta teoria da conspiração foi recentemente proposta pela âncora Rania Badawy no canal de TV egípcio Al Tahrir. Badawy insiste que o episódio de Os Simpsons “New Kids on the Blecch” [trocadilho com o nome do grupo New Kids on the Block”  e “blecch”, termo indicativo de repulsa usado pela Revista Mad, a qual tem destaque no episódio]—no qual Bart, Nelson, Ralph, e Milhouse são recrutados para fazer parte de um boy band chamado “Party Posse” (Batalhão de Festa)—contém pistas que sugerem que “o quê está acontecendo na Síria hoje foi premeditado”.

Aqui está o segmento que foi identificado pelo Middle East Media Research Institute (Instituto de Pesquisa Midiática do Oriente Médio): [infelizmente as legendas estão em inglês]



No episódio os meninos estrelam um vídeo-clipe musical de “Drop Da Bomb” (“jogue a bomba”, também podendo significar “defecar” ou dar uma notícia chocante e/ou inesperada), de uma canção pop que parece encorajar um heroico bombardeio em países árabes hostis. (“Your love’s more deadly than Saddam / That’s why I gotta drop da bomb!”; O seu amor é mais letal do que Saddam, E é por isso que eu tenho que jogar a bomba!) O Refrão da canção é “Yvan eht Nioj”, que quer dizer “Join the Navy” (Aliste-se na Marinha) de trás para a frente; acontece que o Batalhão de Festa é um projeto secreto da Marinha dos Estados Unidos para estimular o número de alistamento através de uma mensagens subliminares.

Badawy, a astuta âncora do telejornal, notou que o carro dos soldados bombardeados no clipe-musical (mostrado abaixo) carrega na porta uma versão da bandeira da Síria que é bem parecida com a bandeira que os rebeldes e os manifestantes sírios acenaram em 2011. “Como esta bandeira chegou a este vídeo de animação ninguém sabe, e isto tem levantado um debate nas redes sociais”, ela diz. “Isto cria muitas perguntas sobre o quê aconteceu nas revoluções da Primavera Árabe e sobre quando esta conspiração global iniciou”.

Não que seja realmente necessário a este ponto, mas o New York Times fez um resumo minucioso do porque—quando se analisa os “aspectos cruciais tanto da história da Síria quanto os detalhes do episódio de os Simpsons”—tudo isto não passa de uma grande bobagem.

Mesmo assim eu pensei em perguntar ao Al Jean, um produtor executivo de longas datas de Os Simpsons, o quê ele acha sobre esta interessante teoria. Jean enviou a seguinte breve declaração:

“Sim, nós tivemos o incrível poder de prever conflitos no Oriente Médio”.

Algo me faz duvidar de que o pesado sarcasmo da resposta de Jean será compreendido por certos teóricos de conspirações. Mas também rolam por aí umas teorias loucas de que Os Simpsons previram os ataques terroristas de 11 de setembro. Há também uma postagem sobre as 11 vezes em que Os Simpsons “previram” o futuro da tecnologia.

Agora vejam aqui o vídeo-clipe da música “Drop Da Bomb” que é cúmplice ao derramamento de sangue na Síria, eu suponho:

[´Conseguimos encontrar um clipe com legendas em espanhol.]



Asawin Suebsaeng é um repórter da escritório da Mother Jones em Washington, DC. Ele também tem escrito para The American Prospect, the Bangkok Post, e para o site Shoecomics.com.


Todos sabemos da força que a mídia tem em reproduzir algumas ideologias, assim como temos que reconhecer o poder de uma mensagem subliminar. Contudo, também sabemos que hoje em dia as pessoas estão acreditando, cada vez mais, em tudo que veem e leem nas redes sociais (e em outras várias mídias) sem darem a si mesmos um minuto para pensar sobre o caso e/ou procurar mais informações, ou mesmo, apenas um minuto para somente duvidar.

O artigo de Robert Mackey do New York Times (6 de maio de 2014), que é mencionado por Asawin Suebsaeng em seu texto acima, entre outros fatos históricos, diz que

“O primeiro erro da teoria é o fato de que a oposição síria não inventou uma nova bandeira em 2011, mas simplesmente adotou o antigo verde, branco e preto usado pela Síria por mais de três décadas, começando em 1932. Aquela bandeira foi substituída pelo vermelho, branco e preto, seguindo o golpe militar de 1963 que consequentemente levou o pai do Sr. Assad ao poder”.

Pois é… Nada como um pouquinhozinho de história para esclarecer algumas conspirações. E neste caso, o comentário-resposta do produtor executivo de Os Simpsons foi absolutamente adequado.

c&p

Um comentário:

  1. Com certeza esta "conspiração" não previu a guerra na Síria, porém a Primavera Árabe foi uma derrubada de governos que de alguma forma ou de outra desagradavam Washington...

    ResponderExcluir

('Trollagens' e comentários Desrespeitosos e Ofensivos não serão publicados):