Os Trajes Grotescos e As Profissões do Século 17, de L’Armessin


O Alfaiate, Habit de tailleur
Tem a roupa adornada com fitas, carregando uma caixa de costura na cabeça. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

A série de impressões da qual estas gravuras fazem parte, já recebeu vários títulos: “Les costumes grotesques et les métiers” (Os trajes grotescos e as profissões), “Costumes grotesques” (Trajes grotescos), e “Habits des métiers et professions” (Trajes das atividades e profissões). Composta de 97 gravuras, publicadas em 1695, a série obteve grande popularidade e teve várias edições e cópias feitas na época. O trabalho vem da famosa família Larmessin (ou L’Armessin) que foi uma famosa dinastia francesa de ativos gravadores, impressores, e vendedores de livros dos séculos 17 e 18.

O Ourives, Habit d'orfèvre
Corpo composto por uma mesa ricamente ornamentada que sustenta objetos de decoração feitos em metal. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Marceneiro, Habit de meniusier
Tem o corpo composto por ferramentas e painéis de madeira, e carrega tábuas. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

Mas qual membro da da famosa família é o autor desta série? Roger Armand Weigert, em um artigo que discutiu a família a fundo, atribuiu a autoria das gravuras excepcionais a Nicolas de Larmessin II (1638-1694, aprox.), que foi responsável por desenhar inúmeros livros de gravuras, calendários, almanaques, e várias impressões decorativas. No entanto, a série Costume Grotesques tem sido ocasionalmente atribuída a Nicolas Larmessin III (1640-1725, aprox.), como o faz o British Museum que têm parte da série em seu acêrvo. Isso cria a possibilidade dos irmãos terem trabalhado juntos nesta extensiva série de impressões.

O TanoeiroHabit de chaudronnier
Tem o corpo composto por caldeirões, panelas e coadores. Água-forte, gravura.
(Image: © Trustees of the British Museum).

Cada placa é composta de um personagem estilizado que representa um trabalhador, ou um vendedor ambulante, ou mercadores, no estilo do artista plástico do século 16, Acimboldo. As figuras são representadas com as vestimentas particulares de determinadas ocupações profissionais, seja pelas roupas, chapéus, etc. construídos com objetos e ferramentas correspondentes à cada ocupação.

O Vendedor de Bolsas, Habit d'malletier coffretier
Corpo composto de várias bolsas e malas. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Músico, Habit de musician
Corpo composto por instrumentos musicais e outros acessórios musicais. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Pescador, Habit de pescheur
Roupa composta de peixes e de uma rede de pesca utilizada como uma capa. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Vendedor de Perfumes, Habit de parfumeur
A roupa do vendedor de perfumes é composta por leques e frascos de perfume. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Jardineiro, Habit de jardinier
O traje do jardineiro é composto de frutos e legumes, e ele carrega várias ferramentas de jardinagem. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Artesão de artigos de plumas e penas, Habit de plumassier
Homem com traje adornado com penas, segurando um par de asas com sua mão esquerda e um espanador de pó feito de penas na mão esquerda. Água-forte, gravura.
(Image: © Trustees of the British Museum).

O Serralheiro, Habit de serrurier
Corpo composto por uma fornalha e por ferramentas, sentado escarranchadamente em uma bigorna. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Artesão de cintos e cinturões, Habit de ceinturier
A vestimenta é composta de cintos, o homem carrega várias ferramentas em sua cabeça e segura uma machadinha com sua mão direita. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O site Figure Ground Game analisa estas ilustrações barrocas dentro de uma tradição antiga de representação satírica da relação entre “vestuário” e “arquitetura”.

“Há um associação antiga entre vestuário e residência (habitat, habitação), uma ideia que conecta o ideal do ‘ornamental’ refletindo uma condição de decoro, compostura; o status do indivíduo mostrado tanto como em seus trajes pessoais quanto na moradia a qual ele habita. A tradição figurativa representada por Giovanni Battista Bracelli em sua Bizarie di Varie Figure, de 1624, é um possível antecedente deste e de outros artistas europeus que são parte de um gênero que atravessa vários séculos; um gênero que talvez tenha sido manifestado por último nas figuras do Homem de Lata de O Mágico de Oz, ou mais recentemente nos bonecos, animações e filmes dos Transformers”.

O Vinicultor, Habit de vigneronO vinicultor tem o corpo compost de vinho e toneis de Madeira. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Comerciante de Queijos, Habit de laijettier
Homem com o corpo composto por estantes de mostruário, formas, coadores e bandejas. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Taberneiro, Habit de cabaretier
Traje composto de garrafas de vinho, jarras e videira, andando para a esquerda. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Padeiro, Habit de paticier
Traje de padeiro composto de forno e vários utensílios. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

Dentro desta visão do corpo se tornando moradia, vestuário e profissão, poderíamos quase afirmar que uma pessoa é aquilo que ela faz, ou que ela é aquilo que ela veste ou a moradia que reside, mas este seria o mesmo que julgar o livro por sua capa, o quê sabemos não funcionar eficazmente como método de decifração do conteúdo humano. Contudo, para nós hoje em dia, estas gravuras também funcionam como uma máquina do tempo pela qual nos deparamos com alguns do objetos e utensílios, que compõem alguns dos trajes e vestimentas, que nos são totalmente desconhecidos. Tais objetos e utensílios oferecem características que seriam facilmente reconhecidas no século 17 por representarem um lugar comum ao público daquela época.

O Ceramista e Vidreiro, Habit de verrier fayencierTraje compost de vários pratos, copos e pequenas garrafas. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Comerciante de Quinquilharias de Ferro, Habit de quincaillier
Traje compost de vários instrumentos, sinos, cadeados, e armadura. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

O Cesteiro, Habit de vannier
Traje composto de cestas, e a cabeça encimada por águia encanastrada. Água-forte, gravura. (Image: © Trustees of the British Museum).

Esta viajem no tempo tão longínqua em que podemos ver algumas profissões, ocupações e áreas específicas de trabalho que já desapareceram, também nos faz pensar nas ocupações profissionais que vimos e que veremos desaparecer do mundo contemporâneo.

c&p

Fonte: Figure Groud Game; Tendências do Imaginário; The British Museum; io9; Archive Today; Lueder H. Niemeyer




Nenhum comentário:

Postar um comentário

('Trollagens' e comentários Desrespeitosos e Ofensivos não serão publicados):